LIGUE (21) 3172.1756

O que faz um negócio dar certo? Empreendedores relevam seus segredos para o sucesso

Focar em um nicho, resolver um problema do consumidor…descubra o que empreendedores fizeram para vencer

  Por que algumas empresas nascem e se consolidam enquanto outras não sobrevivem? Existe uma receita de sucesso para os negócios? Na opinião do vice-presidente de fusões e aquisições do Buscapé Company, Ayrton Aguiar, é muito difícil dizer que existe uma receita. Mas ele afirma que todas as empresas que dão certo têm algumas características em comum.
“A perseverança é uma delas. O empresário deve ter capacidade para enfrentar os problemas e persistir no negócio, mesmo quando tudo parece que vai dar errado.”

Ao mesmo tempo, Aguiar diz que é muito comum empresários começarem um projeto e depois perceberem que não era exatamente aquilo o que esperavam. “Às vezes, o mercado não é tão bom quanto se pensava, ou os custos são maiores do que o previsto. Quando isso acontece, é preciso ter flexibilidade para mudar, persistindo na busca pelo sucesso, mas com flexibilidade para alterar as ideias preconcebidas e se adaptar a uma realidade que não foi prevista.”

Montar um time coeso e afinado também é uma característica entre os empresários bem sucedidos, segundo ele. “É muito raro ver uma empresa de sucesso, na qual o fundador realize voo solo. Ele precisa ter gente de confiança com alto nível de comprometimento.”

Perseverança foi uma das marcas no processo de criação do Buscapé. Antes de lançarem o site de comparação de preços, em 1999, os estudantes da Escola Politécnica da USP Romero Rodrigues, Rodrigo Borges e
Ronaldo Takahashi, juntamente com Mario Letelier, aluno de administração da Fundação Getúlio Vargas, passaram um ano desenvolvendo um programa para entrar nos sites das lojas e consolidar as informações com os preços dos produtos.

Hoje, após fusões e aquisições a marca reúne 25 empresas como SaveMe e Bondfaro, e recebe 70 milhões de views por mês. Em 1999, toda a tecnologia desenvolvida pelos sócios foi transferida para a sul-africana Naspers. Com 91% das ações, o grupo tornou-se o maior acionista do Buscapé. O valor da transação foi de US$ 342 milhões. Mas os fundadores continuam trabalhando na empresa

Na opinião do alemão Malte Huffmann, que junto com o brasileiro Philipp Povel, o francês Thibaud Lecuyer e o também alemão Malte Horeysech, criaram a Dafiti, loja de e-commerce lançada há 19 meses e que recebe 35 milhões de visitantes por mês, a principal responsável pelo sucesso do negócio foi a conveniência oferecida ao consumidor.

“A grande variedade de produtos, o frete grátis, a facilidade de troca e a ausência de risco na hora da compra, além da qualidade do serviço e do atendimento, foram os fatores que atraíram os consumidores”, avalia.

No mês passado, a Dafiti recebeu investimento de R$ 90 milhões do J. P. Morgan Asset Management. Com o aporte financeiro, os sócios planejam diversificar ainda mais o portfólio para o público brasileiro e investir nos negócios iniciados em outros países da América Latina.

Desafio. Para os engenheiros cariocas que em 1999 criaram a Vtex, que oferece soluções para plataformas de e-commerce, Mariano Gomide de Faria e Geraldo Thomaz, o sucesso depende de fatores como o modelo de negócio, uso de tecnologia de ponta e a construção de uma cultura extremamente forte. “No nosso caso, fazer com que os 140 funcionários pensem como dono é o maior desafio.”

Os empresários afirmam que, quem empreende, tem de estar disposto a encarar os erros e superá-los. “Nós erramos muito, mas persistimos durante sete anos, até que em 2006 descobrimos o nicho de mercado que nos trouxe até aqui.” Em 2011, a Vtex faturou R$ 14 milhões e, neste ano, a expectativa é de chegar a R$ 28 milhões.

Investir em tecnologia foi determinante para que a Stilgraf, indústria gráfica especializada nos segmentos de publicidade e propaganda, recebesse prêmios renomados de excelência gráfica como o Fernando Pini, considerado o Oscar do setor.

O fundador da empresa, Sergio Franco, afirma que a consolidação da companhia foi fruto do tripé qualidade do produto, atendimento ágil e satisfação do cliente. “Nós não acreditamos em demanda sem solução, por isso fomos os primeiros a oferecer serviço 24 horas por dia.”

Franco diz que a empresa manteve-se atenta às novidades do mercado e comprometida com a evolução tecnológica, agregando mais qualidade e agilidade. “Buscamos certificações como a Forest Stewardship Council e o Selo Verde, que garantem termos adotado práticas ambientais em nossos processos.” A empresa, que entrou em operação há 20 anos com cinco funcionários e uma impressora monocolor, tem hoje 500 colaboradores e um moderno parque gráfico.

Concentração. O jovem empresário Cassiano Antequeira, dono da agência web Esperienza, que começou a empreender antes de completar 21 anos, diz ser importante que o empreendedor mantenha o foco em um nicho. “Percebo que quem tenta fazer várias coisas ao mesmo tempo acaba se perdendo no caminho. Na Esperienza, buscamos inovar sempre dentro do nosso ramo.”

Antequeira também ressalta a importância do plano de negócio. “Ele é essencial e me fez muita falta no começo do negócio. Hoje, tenho mapeado todos os aspectos do negócio e posso me antecipar e solucionar os possíveis problemas, antes que eles ocorram.”

O empresário é formado em sistemas da informação e há 11 anos desenvolveu um sistema para auditar lojas usando palmtops, em seguida criou a Sperienza. Hoje, oferece soluções tecnológicas para empresas de diversos setores e shopping centers.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

*