LIGUE (21) 3172.1756

Quer abrir uma franquia? Confira linhas de crédito exclusivas oferecidas por bancos brasileiros

Conheça algumas linhas ofertadas pelas instituições financeiras e cuidados necessários antes da contratação

Em constante crescimento e com um faturamento de R$ 88,8 bilhões no ano passado, o setor de franquias não fica de fora das estratégias dos bancos. As instituições financeiras olham com atenção para esse segmento e ofertam linhas específicas de crédito para os franqueados. As linhas tradicionais também estão disponíveis para os clientes do setor.

O Itaú Unibanco, por exemplo, tem a linha Compror Franquias, voltada para compras de um único fornecedor. O crédito ajuda o franqueado a montar o estoque com os produtos da rede. Além disso, o cliente consegue fazer sua gestão financeira por meio do portal da instituição e antecipar o recebimento das vendas com cartão de crédito.

“Há dois anos e meio a franquia é um dos setores estratégicos do banco”, afirma o superintendente de Produtos Empresas do Itaú Unibanco, Bruno Machado Ferreira. Só no ano passado, o banco aumentou em 50% sua base de franqueados. Atualmente, o Itaú tem 30 mil franqueados com conta na instituição e 500 redes parceiras. Entre as parcerias firmadas, estão redes como Cacau Show, Chilli Beans e Sorridents.

As expectativas do Bradesco também são positivas para o setor. Com 160 convênios firmados com as redes e mais de 20 mil franqueados, o banco quer fechar o ano com 200 parcerias. “Para as empresas com convênios firmados, os pacotes têm condições comerciais diferenciadas. As taxas e tarifas não têm o mesmo custo de uma contratação isolada”, explica o diretor da área de Produtos e Serviços do Bradesco, João Carlos Gomes da Silva.

Silva enxerga um cenário de forte crescimento nos próximos anos para o setor, principalmente nas áreas de idiomas, alimentação, turismo e hotelaria devido a realização da Copa do Mundo e Olimpíadas no País. A Associação Brasileira de Franchising (ABF) projeta um crescimento de 15% no faturamento do setor de franquias em 2012.

Já o Banco do Brasil tem convênio com 176 franqueadores e cerca de 9,8 mil franqueados. No HSBC, o volume de empréstimos concedidos de janeiro a julho deste ano foi 80% maior do que o volume referente ao mesmo período do ano passado.

Na Caixa Econômica Federal, os franqueados sem restrições cadastrais das redes conveniadas têm linhas de crédito de capital de giro e antecipação de receitas pré-aprovadas. Em 2011, o setor de franquias foi responsável  pela contratação de R$ 581 milhões. Este ano, até julho, foram emprestados R$ 424 milhões, um valor 25,32% maior em relação ao mesmo período do ano passado.

Cuidados A contratação de crédito exige cautela. Para o diretor da consultoria Francap, André Friedheim, a recomendação é usar capital próprio para abrir a primeira franquia. “É uma questão de foco nos negócios. O empresário precisa se concentrar em fazer o negócio dar certo. Se ele pegar crédito, vai ter mais uma preocupação e um compromisso para cumprir”, afirma.

O uso do crédito, na avaliação de Friedheim, começa a ficar mais atrativo a partir da segunda unidade ou mesmo para reformar a primeira instalação. “Além das questões pessoais, o banco vai fazer a análise da rede e das taxas de retorno. E pode até pegar como garantia a própria operação da franquia”, diz o consultor.

Se tornar cliente do banco onde a rede já tem convênio pode ser a melhor alternativa, mas a pesquisa para encontrar as melhores condições de crédito é fundamental antes da assinatura do contrato.

 

Fonte: Estadão PME

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

*